Toda a verdade por trás de Nutella – isto é o que fazem para o produto chegar à sua mesa!

0
357

Com certeza você já ouviu falar em Nutella, a famosa pasta de avelã e cacau. O alimento é comercializado no mundo todo e atrai principalmente os mais jovens, pelo sabor adocicado.

Há quem coloque Nutella no sorvete, na sobremesa, no pão ou no café. Ou seja: de fato é um produto muito consumido.

Mas você sabe qual é a principal matéria-prima para se fazer essa delícia e tantas outras vendidas no mercado?

É o óleo de palma. É qual o problema disso?

É a destruição ambiental das ilhas de Sumatra e Bórneu, o habitat natural dos orangotangos, que vivem nas matas dessas ilhas.

O óleo de palma tem um custo baixo e não altera o sabor dos alimentos. É tudo o que um produto como Nutella precisa.

Mas o problema é que estão destruindo florestas como as de Sumatra e Bornéu para o plantio de palmeiras, ignorando espécies que dependem de uma vegetação vasta variada, que é o caso dos orangotangos.

Na queima de florestas, os orangotangos são espancados, mutilados e até queimados vivos.

Não existe um programa de proteção oficial para protegê-los.

Ou seja, o óleo de palma é um inimigo das espécies nativas das paradisíacas ilhas de Sumatra e Bornéu.

Para você ter ideia, algum tempo atrás, a ministra do Meio ambiente da França, Segolene Royal, pediu à população que deixasse de consumir produtos feitos com óleo de palma, como o creme  Nutella, para evitar a destruição ambiental e a extinção dos orangotangos.

E não há nenhum exagero.

A cada minuto, desaparece nessas ilhas o equivalente a seis campos de futebol, destruindo plantas e animais.

E a culpa todos sabem de quem é: das empresas que plantam palmas para extração de seu óleo, que é usado em cosméticos e em alimentos como Nutella.

Mais de 50.000 orangotangos foram mortos em 20 anos, incendiados para dar espaço para grandes plantios de palma.

Todos os anos 50 milhões de toneladas de óleo de palma são produzidos.

E o preço disso para a humanidade não é baixo: é a destruição de 12 milhões hectares de uma densa e maravilhosa floresta queimada pelos plantadores.

Se continuar assim, até o ano de 2033 essas selvas não existirão mais. Antes disso, os orangotangos deixarão de existir.

Muitas organizações ambientais tentam parar com essa loucura. E nós seres humanos conscientes precisamos nos unir.

Campanhas de conscientização e acordos são necessários para impedir esse trágico final.

Não estamos pensando apenas nas florestas, mas nos animais que são mortos, na emissão de gases que favorecem o aquecimento global e tudo o mais.

Nutella se defende

A Ferrero, empresa que fabrica o produto, garante estar consciente de seus compromissos ambientais. E afirma que adota diversos cuidados em relação ao fornecimento de óleo de palmeira.

Deixe um comentário