Mulher escapa por pouco da morte e só percebe quando ver a foto em casa que tirou do local

0
37

Julia Sundukova é uma fotógrafa russa de 37 anos. Ela ama visitar locais exóticos e capturar as suas belezas em fotos. 

Mas quando Julia chegou em casa depois de uma viagem ao Parque Nacional de Andasibe-Mantadia, ao leste de Madagascar, e começou a editar suas fotos, ela percebeu algo que lhe deu calafrios na espinha.

“Eu estava explorando a área ao redor da cabana e encontrei um grande lago cercado por uma floresta tropical”, ela recorda. O que ela não sabia é que, enquanto estava naquele lago, ela estava sendo observada de perto e atentamente por um dos carnívoros mais mortais do mundo.

Escondido na grama alta na beira da água estava um crocodilo enorme que havia conseguido se esgueirar até poucos metros da jovem fotógrafa. Julia só notou esse detalhe da foto em sua casa e por isso pôde respirar aliviada por ter tido tanta sorte. Se as coisas tivessem sido diferente, ela poderia ter acabado como o almoço do crocodilo.

O crocodilo de Madagascar é uma subespécie do crocodilo-do-nilo e pode crescer até 4,5 m de comprimento e pesar mais de 900 kg. Acredita-se que crocodilos-do-nilo são responsáveis por mais mortes humanas na África do que todas as outras espécies de crocodilo combinadas. Alguns especialistas estimam que eles matem várias centenas de pessoas todos os anos. Em Madagascar, crocodilos são os únicos animais que realmente apresentam um perigo real aos humanos.

“Crocodilos podem ficar completamente parados por muito tempo, e por isso passam despercebidos com frequência”, explica Julia, sabendo do quão sortuda ela foi ao não ter tropeçado naquele que estava observando-a.

Talvez o crocodilo simplesmente não estivesse com fome. Ou talvez Julia tenha ido embora na hora certa. Qualquer que seja o caso, ela sempre se lembrará de ficar mais atenta na próxima vez que estiver em um desses locais que essas animais mortais chamam de lar.

Fonte: vcbela

Deixe um comentário