Bill Gates diz que apoiaria separação de Microsoft e Xbox

Há algum tempo, a Microsoft é pressionada por acionistas a vender o Bing e a divisão do Xbox por acionistas. Depois de um bom tempo calado sobre planos da empresa, Bill Gates finalmente decidiu se manifestar sobre o assunto, sem, no entanto, empolgar muito quem é fã dos consoles desenvolvidos pela empresa.

Em entrevista à Fox Business, Gates disse que a venda do Xbox “não seria um movimento tão óbvio quanto muitos pensam”. Segundo ele, a empresa tem planos de aproximar cada vez mais os games no PC, no Windows e no Xbox. A empresa tem uma estratégia relacionada a games, na qual o console está diretamente envolvido.

No entanto, Gates não é mais CEO; o cargo é ocupado agora por Satya Nadella. O fundador faz questão de ressaltar que apoiaria qualquer decisão tomada pelo novo “chefão”, mesmo que isso signifique passar adiante a área responsável do Xbox. Quando questionado se apoiaria esta possível decisão, ele foi firme. “Certamente”, ele respondeu.


Isso não significa que Bill Gates é a favor da venda do Xbox, mas também não diz se ele é contra. Ele apenas mostrou apoio a Nadella em um cenário hipotético. O fundador da Microsoft, inclusive, foi responsável por apresentar o primeiro console, em 2001, e certamente teve envolvimento direto na criação do projeto, com uma ampla estratégia para o console.

De qualquer forma, se livrar do Xbox pode não ser a melhor ideia para a Microsoft. Embora o Xbox One não tenha as mesmas vendas do PS4, o início das suas vendas está melhor do que o começo da vida do Xbox 360, então o console é, sim, um acerto. A divisão é reconhecida e querida entre boa parte do público e representa a única iniciativa de hardware da Microsoft que pode ser considerada um sucesso indiscutível, até o momento, já que o Surface ainda não deslanchou. Isso pode mudar com a chegada da Nokia, no entanto.

Além disso, o Xbox inclui uma nova área de conteúdo iniciada pela empresa, que tenta abranger várias mídias, entre as quais estão o fornecimento filmes (Xbox Video), música (Xbox Music) e produção própria de seriados e longas-metragens (Xbox TV). A perda de uma área como essa enfraqueceria muito a Microsoft para o público comum.

Porém, do outro lado estão os investidores. A divisão nunca deu muito lucro e se livrar dela impulsionaria automaticamente o valor das ações da empresa, gerando um dinheiro rápido para acionistas. Por isso, a pressão é grande. Financeiramente, pode ser interessante, mas estrategicamente, pode não ser a melhor ideia.

Sobre o Bing, porém, ele já demonstrou uma posição mais decisiva, declarando que a ferramenta de buscas é uma “tecnologia fundamental” para a empresa. A área também está sob pressão pelos mesmos motivos de falta de rentabilidade.

fonte: olhardigital

Deixe um comentário

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK