Análise / Review Projetor Moto Z Insta-Share

Um novo e mais tecnológico projetor exclusivo, o Moto Z Insta-Share. O sonho de ter um projetor de bolso é velho. Já existiram telefones no passado com isso embutido, e temos inúmeras opções de projetor portátil a venda. 

Mas, no caso do Moto Z, temos um módulo só pra essa função. Começa agora o nosso Review: Moto Z Snaps – Moto Insta-Share Projector!

Um projetor de bolso

Vamos começar falando do que se trata. Falamos de um projetor para ficar acoplado na traseira do Moto Z/Z Play, com capacidade para projetar imagens em paredes (ou tetos, chão, enfim). O tamanho máximo das projeções é de 70″ em 16:9, mas a resolução é limitada a 480p.

Acoplar o insta-share projector na traseira do Moto Z causa um óbvio ganho de tamanho, aumentando em 11mm a espessura do aparelho. O peso sobe aproximadamente 124g com o projetor.

E execução é otimizada pelo módulo. Isso significa que o ajuste de trapézio da projeção é automático, portanto basta apontar para a parede e o módulo corrigirá a distorção causada por ângulos mais inclinados em relação aàparede. A capacidade de correção trapezoidal vai de -40º a 40º. Há um pequeno suporte apoiar o Z e auxiliar nos ajustes de ângulos, inclusive.

Mas isso é metade do serviço. Apesar desse belo ajuste, o foco é totalmente manual, e depende de você girar a pequena roda ao lado da lâmpada de projeção para ajustar isso, olhando para a parede.

O problema é que a roda gira de forma infinita, ou seja, é possível passar do foco, e continuar girando até chegar novamente nele, passar de novo… isso foge do padrão de câmeras e até projetores comuns, onde existe um limite para o foco negativo ou positivo, facilitando achar o ponto mais rápido.

Vamos falar da lâmpada de projeção dele. Bom, todo projetor tem uma vida útil de lâmpada, e esse também segue a regra. São 10.000 horas de projeção, tempo mais que suficiente para toda a vida útil do celular, praticamente. A gente sinceramente não acha que você vá assistir a 10 mil horas de conteúdo pelo Moto Z projetando coisas. Mas de qualquer forma, tá aí a informação.

Fora isso, temos como luminância máxima do projetor o modesto valor de 50 lumens, com taxa de contraste de 400:1. O que isso significa? Basicamente, que o módulo de projeção segue a mesma regra da grande maioria dos projetores de bolso. Só funciona em salas totalmente escuras.

É sério isso. A menor entrada de luz consegue competir fortemente com a projeção do módulo, indicando que ele foi desenhado para ambientes fechados com a mais fraca iluminação possível. Salas com meia-luz são o limite extremo de uso desse acessório.

Se tem uma coisa que é óbvia, é o fato de que essa lâmpada consome energia. E consome ela de duas formas diferentes. Num primeiro momento, o projetor utiliza sua bateria interna de 1100 mAh para se auto sustentar por até uma hora de projeção. Depois disso, pode-se assistir por mais tempo usando a bateria do smartphone. A transição é feita de forma automática.

De qualquer forma, você pode carregar o módulo sem conectá-lo ao Moto Z, pois ele conta com uma entrada USB-C de energia. Ele também vem com bolsa de transporte para evitar danos quando desconectado do Z. Uma nota sobre o calor produzido pela peça. Ele não é excessivo, mas existe e está presente durante 100% do tempo de projeção. Enquanto houver atividade, você poderá sentir o aquecimento da peça. Até então nenhuma novidade, é natural de projetores dissipar calor.

Existe até mesmo um sistema de resfriamento no módulo, com entrada e saída de ar, além de um mini-charmoso cooler. Sim, um pequeno ventilador, minúsculo, refrigerando ativamente a peça enquanto está ligada. É um projetor pleno mesmo. Há outro detalhe que pode ser exigência demais nossa, mas aí vai. Esse módulo habilita o Z a se transformar num projetor, mas não cuida da parte de áudio.

Ele é grande, não há remédio pra isso. É algo “enorme” que não combina com dia-a-dia, apenas serve para situações específicas. Poderia haver uma boa caixa de som integrada, aumentando um pouco mais o tamanho, mas tornando a experiência multimídia completa. Porém é apenas nossa opinião, não vamos levar isso em conta contra o módulo.

E o veredicto é…

Apresentamos tudo isso para vocês. Mostramos um projetor médio, que funciona em situações BEM específicas e traz uma resolução… aceitável. O problema é que ele custa R$ 1.499,00. Para um produto que é desenvolvido pela própria Motorola, ou Lenovo… é muito. Ainda mais que esse produto serve apenas para a linha Z.

Talvez valha mais a pena buscar projetores de bolso (para qualquer aparelho) no Ebay, Mercado Livre e afins, dependendo da sua necessidade. É muito legal, divertido e cômodo, mas o preço faz a gente questionar se é tudo isso mesmo…

Deixe um comentário

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK