7 Coisas que os homens gostam em um Relacionamento

0
1305

Diferente do que dizem por aí, os homens não são todos iguais. Porém, em alguns aspectos (como é o caso das expectativas relacionadas aos relacionamentos), percebo que os machos anseiam por coisas parecidas. Sendo assim, nas próximas linhas, falarei sobre coisas que os homens – ou a maioria deles – desejam em uma relação. Estão prontas? Abram uma cerveja bem gelada e vamos logo ao que interessa:

1. SEXO

Parece óbvio, né? Mas nós, homens, não queremos qualquer tipo de sexo: desejamos o sexo livre de pudores e aquele que não possui amarras sociais desnecessárias. Ansiamos pelo sexo desprovido de vergonha e despido de julgamentos. Queremos que a nossa mulher, na cama ou onde ela se sentir confortável, não tenha vergonha de nos confessar, com um sorriso malicioso no rosto, todas as fantasias que ela possui e que, pra ontem, gostaria de realizar conosco. Além de nos encher de tesão – o que é óbvio! -, nos sentimos bem quando percebemos que a mulher que amamos não tem vergonha de se abrir, no melhor sentido da coisa, para nós. O homem se sente muito frustrado quando percebe que a própria namorada tem vergonha dele. Mulheres, por favor, soltem-se por vocês e pelos seus namorados! Não tenham vergonha de fazer, entre quatro paredes, tudo aquilo que têm vontade e que dá prazer a vocês. E se ele for do tipo que julga e que, graças ao seu despudor fantástico, pensa algo de ruim em relação a você, troque de namorado, pois só os idiotas não valorizam uma mulher assim.

2. UMA RELAÇÃO SEM JOGUINHOS

Mulheres, sempre que eu tomo uma cerveja com os meus amigos, ouço algum deles desabafar e me dizer que está cansado dos constantes joguinhos feitos pela namorada. Os homens odeiam quando a namorada, ao invés de dizer o que não gosta, dá uma indireta que, de tão complexa, mais parece uma equação de terceiro grau, ou, o que é ainda pior, quando ela resolve bater sem explicar o motivo do tapa. Na grande maioria das vezes, por mais dolorosa que possa soar, preferimos uma bronca do tipo: “Eu odeio quando você fica falando com a piranha da sua ex-namorada!”. Odiamos quando, do nada, entre uma piscada e outra, vocês fazem um bico imenso e, sem ao menos explicar, param de falar conosco. Sei que, em muitos casos, agimos como idiotas, porém, sempre que puderem e quiserem resolver o problema de maneira mais rápida, joguem aberto e evitem as charadas demoníacas.

3. LIBERDADE

Liberdade é essencial para um relacionamento saudável. Por favor, não sejam loucas a ponto de exigir que fiquemos 24 horas por dia conectados a vocês! Saibam que nem sempre conseguiremos responder às perguntas que vocês nos mandam por SMS e que, quando não respondemos, não significa que o amor acabou ou que estamos ocupados comendo a secretária sobre a mesa do escritório. Na maioria das vezes, apesar da desconfiança de vocês, é apenas futebol, atenção dada aos amigos, ou uma reunião demorada. Uma relação na qual tudo gira em torno do casal está condenada ao morno e à monotonia. Sempre que puder, saia com as suas amigas para beber e para falar mal de nós! Deixe-nos jogar a nossa bola em paz e, sem cara feia, aceite a cerveja que continuaremos a beber depois do jogo, para hidratar a alma e a mente. Quanto mais você o prender, mais o fará querer fugir. Incentive-o a ter uma vida além da vida que você leva com ele. Faça o mesmo.

casal amor

4. CRÍTICAS, MAS SEM EXAGERO

As suas criticas, muitas vezes, fazem com que o parceiro seja uma pessoa melhor. Porém, cuidado para não exagerar e para não começar a criticar tudo o que ela faz, diz, pensa, veste e bebe. É sério! Conheço namoradas que, com o namorado, agem como se fossem mães dando broncas em filhos rebeldes. No final de semana passado, ouvi uma namorada, em tom de bronca, dizer para o namorado: “Não exagere na linguiça, depois você não conseguirá comer a picanha!”. Só faltou dizer que o deixaria de castigo se ele não comesse direito. Aí não dá! Conheço namoradas que criticam tudo o que o namorado faz e, sinceramente, não sei o que eles ainda fazem com elas. Juro! Parece até uma obsessão por achar defeitos. Uma vontade incontrolável de reprimir e de contrariar. Não deixe de criticar, mas, se puder, elogie também! E aprenda a aceitar aquilo que é diferente de você. Se tudo o que o seu parceiro faz (até a forma como ele espirra) não agrada você, mude de parceiro. Ou, o que eu acho mais necessário, pare de ser CHATA PRA CARALHO!

5. SURPRESAS

Homens também gostam de surpresas! Não estou dizendo para dar um ursinho de pelúcia ao seu namorado. Nada disso! Mas, se usar a criatividade, com certeza fará com que o dia dele fique melhor. Que tal acordá-lo com um belo boquete e, depois virarem os olhos juntos, convidá-lo a um show de rock? Que tal surpreendê-lo com uma calcinha quase invisível e chamando-o para uma maratona de Poderoso Chefão? Em nome de todos os homens do Brasil, eu faço questão de dizer: surpresa não é coisa de mulherzinha! Nós, machos da Terra, não conseguimos esconder o sorriso quando nos surpreendem.

6. ALGUÉM PARA CONVERSAR

Não existe nada melhor do que uma namorada com quem gostamos de virar a noite conversando. Nada – nem a bunda mais redonda ou o peito mais perfeito – supera o prazer que sentimos quando encontramos alguém com quem podemos falar sobre tudo e que, além de nos ouvir com atenção, também nos ensina muitas coisas. O sexo, por melhor que seja, representa no máximo 25% do tempo que passamos com a parceira, ou seja, se no resto do tempo não houver uma conversa cativante, dificilmente existirá uma relação sólida e com potencial de sucesso. Nada melhor do que sentar em um bar com a namorada e lá ficar, sem pressa, conversando até o garçom avisar que a cozinha já fechou. E continuar a conversa no táxi. E depois na cama. E também no dia seguinte…

7. PARCEIRAS QUE NÃO FAZEM COMPARAÇÕES COM AS RELAÇÕES ANTERIORES

Não existe nada mais escroto do que aquela namorada que, abertamente, vive a comparar o atual com o “ex”. “Mas o Pedrinho tinha paciência para me esperar escolher sapatos!”. Foda-se o Pedrinho e a paciência dele! Lembre-se de que cada pessoa é de um jeito e que você não pode exigir que todos sejam iguais ao Pedrinho. É claro que o “ex”, por pior que tenha sido, possui características melhores do que o atual, mas não precisa dizer isso a ele ou exigir que o atual faça tudo aquilo que o seu “ex” fazia. Desapegue-se do passado e aprenda a valorizar o que o presente tem de bom. Foda-se o Pedrinho e paciência dele.

Fonte: superela

Deixe um comentário